Elas são o quarteto fantástico leopoldense de corrida de rua

20 de março de 2024 - 16:06
Por Juliano Palinha

A corrida é um dos esportes mais democráticos do mundo. Não tem sexo, não tem idade, não precisa de grandes investimentos no início, basta querer correr. Luana Goés, Juliana Rabenschlag, Vanessa Goldani e Cheila Gutterres, o quarteto fantástico leopoldense quando o assunto é corrida de rua, são a prova disso. Cada uma começou a correr por um motivo, mas todas são unânimes em dizer que a corrida faz parte de suas vidas.

No Berlinda em Focco desta quarta-feira (20), elas contaram um pouquinho da história de cada uma. Cheila, que hoje se divide entre Ijuí, sua terra Natal, com São Leopoldo, começou a correr há 14 anos por causa da morte dos seus pais. “Eu comecei a correr pela dor. Perdi meus pais e não tinha dinheiro para pagar uma academia. Aí  uma amiga que corria me convidou. Desde então comecei a correr e a subir pódio e gostei”, lembra.

Luana literalmente seguiu os passos dos pais. Ambos, segundo ela, corriam. “A corrida faz parte da minha vida desde sempre. Meus pais eram atletas profissionais da Sogipa. Tenho dois irmãos educadores físicos. Então o esporte na minha família é básico. Junto com o estudo era quase que pré-requisito”.

A empresária Juliana começou a correr há 12 anos. A corrida a levou  de volta para faculdade e esse ano se forma em educação física. Mas foi correndo que despertou algo muita maior. Se tornar guia de pessoas com deficiência visual. Juliana faz parte do projeto Sexto Sentido, que nasceu em Porto Alegre e hoje participa de corrida de rua em todo o RS. Também foi através da corrida que ela descobriu um problema cardíaco a tempo para seguir correndo. “Eu me sinto extremamente abençoada de descobrir esse problema cardíaco a tempo. O médico falou para mim quanto tempo eu queria correr. Falei para o resto da minha vida. Então fiz a cirurgia e hoje me sinto nova”, comenta.

Vanessa, professora de educação física, é a que corre há menos tempo por conta do incentivo de uma aluna. “Eu sempre me movimentei. Fazia academia e musculação. Então conheci a Ju e sabia que ela corria. Ano passado uma aluna me convidou para correr a etapa do Circuito de São Leopoldo e não parei mais”.

PROVAS

Durante o programa elas falaram das provas das parcerias e como se preparam. O quarteto esteve no lugar mais alto do pódio no final de semana em Gramado. No próximo sábado à noite, elas estarão em São Leopoldo disputando a primeira etapa do Circuito Leopoldense, na Avenida São Borja.

E falaram mais.

Ouça abaixo a entrevista completa

Notícia anterior
Próxima notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escute a rádio ao vivo