SÃO LEOPOLDO: Projeto para aumentar 50 cm em toda a extensão do dique já está cadastrado na Defesa Civil Nacional

9 de julho de 2024 - 13:25
Por Sônia Bettinelli/Juliano Palinha

O plano de trabalho desenvolvido pela Secretaria Municipal de Obras e Viação (Semov), de São Leopoldo, que trata da ampliação de  50 centímetros em toda a extensão do dique, já está cadastrado no Sistema da Defesa Civil  Nacional como reconstrução orçado em R$ 85 milhões. É a obra imediata que o prefeito Ary Vanazzi (PT) referiu no Berlinda News Entrevista desta terça-feira (9) até o início de uma obra permanente que pode começar no segundo semestre de 2025 e se estender até 2030 ou mais, para toda a região metropolitana envolvendo os rios do Sinos, Caí, Gravataí e o Guaíba, nos moldes do que fazia o Departamento Nacional de Obras e Saneamento (DNOS)  até 12 de abril de 1990 quando foi extinto pelo governo federal da época, repassando parte de seus serviços para outros ministérios como  Agricultura, Desenvolvimento Regional  Infraestrutura, poor exemplo.

Mudança de comportamento

“Precisamos mudar nosso comportamento a partir dessa tragédia. Já falei com o presidente Lula  e encaminhei ao  governo federal a proposta para que a Casa Civil monte e coordene um grupo de trabalho  para elaborar um diagnóstico a partir dos estudos das  nossas universidades, instituições, Comitesinos, por exemplo, mostrando a frequência de eventos mais graves. Isso vai embasar um projeto estratégico de 4, 5, 6 anos  a ser executado por uma empresa contratada para toda a região envolvendo os rios. Era o que o DNOS.”

Bacias de contenção

“A proposta é que a empresa contratada pelo governo federal faça o projeto geral, as obras estruturais que além dos diques são necessárias as bacias de contenção nos rios do Sinos, Cai, Serra Gaúcha, Gravataí , entre outros para que a gente não fique indo da enchente para a seca, que é o que vai acontecer nos próximos meses. No projeto do PAC de São Leopoldo são três bacias de contenção para o arroio Kruse para evitar alagamento na João Corrêa quando chover 50 mm nos próximos anos.”

Duas bombas anfíbias

“Outra ação imediata que fizemos foi a compra de duas bombas anfíbias produzidas pela Higra que serão instaladas no Gauchinho, se for necessário podemos  levar para o arroio Cerquinha.”

Empresários e sociedade civil no comitê

“Vamos refazer o comitê de gestão num modelo que permita a participação da sociedade civil e empresários no debate do governo federal, da elaboração do projeto definitivo para os diques para que tenham garantia do que será feito. A Câmara Temática já é um espaço assim, mas vamos construir um comitê específico para acompanhar a prevenção e a proteção da cidade, o conjunto dos projetos.”

Auxílio reconstrução

“Todas as pessoas que estão na mancha da inundação da cidade, que foram atingidos pela enchente, vão receber o auxílio reconstrução de R$ 5,1 mil. Já são 84 mil famílias que solicitaram o recurso, mas precisa ver quem realmente está na área da mancha porque tem gente da Duque, da Feitoria e outros lugares que não foram atingidos.”

Quatro (4) mil famílias

“Pelo cadastro da Prefeitura, cerca de quatro (4) mil famílias pediram vistoria para saber a situação das casas. Engenheiros da Universidade e da Prefeitura estão fazendo esse trabalho. Para essas famílias estou defendendo o recurso de R$ 10, 15, 20 mil pra recuperar a casa, o telhado, as aberturas. Estou esperando até o final desse mês pra ver se o governo federal libera isso, se não der, já estou vendo com o Banco do Brasil e vou buscar esse recurso para quem precisa arrumar a casa. É possível fazer isso.”

.

Ouça o programa completo

Notícia anterior
Próxima notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escute a rádio ao vivo