Há 60 dias o braço forte e mão amiga da tropa do 19º BIMtz atuando na reconstrução de São Leopoldo

1 de julho de 2024 - 12:39
Por Sônia Bettinelli/Juliano Palinha

Domingo, 30 de junho/2024, militares do 19º BIMtz, abasteceram o Centro de Eventos, na São Borja, onde estão famílias desabrigadas pela enchente do início de maio. Na quinta-feira (27), os alunos da escola estadual Mário Sperb, na Campina, tiveram uma aula prática sobre o exército num clima descontração e interação com os militares. “A proposta é  aproximar a comunidade do 19º BIMtz cujo lema Braço forte, mão amiga” porque nossa missão é servir. Levamos para escola que ajudamos a limpar, serviços, equipamentos, atenção porque temos militares que estudaram ou tem familiares que frequentavam essa escola e outras oito (8) que limpamos até agora”, disse o coronel Celso Brasil Nascimento, comandante do 19º BIMtz, no Berlinda News Entrevista nesta segunda-feira (1). Há dois  meses, a tropa atua ininterruptamente  em São Leopoldo, do resgate de pessoas na madrugada de cinco (5) de maio à preparação do espaço no 16º GAC , limpeza,  corte de grama para instalação do Hospital de Campanha que segue atendendo a população.

Treinamento de guerra

“Nosso treinamento é de guerra pra momentos difíceis, mas não temos treinamento específico para desastres como esse. A conversa com a tropa é fundamental inclusive porque aqui temos militares cujas famílias foram atingidas. No dia 30 de abril fomos a São Sebastião do Caí e Montenegro, retornamos no dia três  (3) de maio focando em São Leopoldo virando 24 horas na madrugada do dia cinco (5) resgatando as pessoas de suas casas. Desde então estamos atuando em todos os setores.”

Castro Alves

“Na escola Castro Alves levamos gerador porque não havia luz e nem água, além de uma viatura com cisterna para fazer a limpeza. Foi um trabalho intenso que não é nada rápido porque é preciso fazer uma  raspagem do lodo e depois lavar. Ajudar na limpeza das escolas é fundamental para que as crianças retomem a rotina  porque isso ajudará no emocional após tanta tragédia”.

Captação de água 

“Sobre abastecimento de água, tem uma ação do batalhão com o Semae para garantir a captação de água bruta no Rio do Sinos. Isso foi quando as pontes estavam interditadas, ajudamos as pessoas a atravessar  com a coordenação da Defesa Civil. Buscamos um engenheiro elétrico para o funcionamento dos equipamentos, montamos uma barraca para os painéis e bombas. Buscamos uma carga de macarrão de piscina pra passar a fiação em cima do espelho de água , ou seja, um trabalho em apoio ao Semae para voltar a captar água e abastecer a cidade.”

Restauração 

“A obra de restauração do pavilhão deve ser concluída em 2025, a previsão era agora mas por conta das mudanças do tempo e também sobre licitação, será no próximo anos. Mas importante destacar que não é um a reconstrução, é restauração para deixar o pavilhão como era antes. É um trabalho minucioso para trazer de volta às características originais.”

Ouça o programa completo

Notícia anterior
Próxima notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escute a rádio ao vivo