Prefeitura de São Leopoldo aplica inseticida contra a dengue no bairro Cristo Rei

7 de junho de 2024 - 15:24
Mais do que nunca, o cuidado contra o Aedes aegypti, transmissor da dengue, precisa ser redobrado. Além do prejuízo material e emocional causado, as chuvas aumentaram o número de locais com água parada.
A Vigilância em Saúde de São Leopoldo realizou nesta quinta-feira, 6, a aplicação de inseticida contra o mosquito Aedes no bairro Cristo Rei. Num primeiro momento, agentes de combate a endemias (ACEs) percorrem as ruas orientando pedestres e moradores sobre o trabalho e pedindo para que recolhessem os animais de estimação por causa do barulho da máquina. Os proprietários podem permitir a aplicação dentro de seus pátios.
As ações de orientação e aplicação são feitas no entorno de residências com casos suspeitos ou confirmados. A prática é chamada de Pesquisa Vetorial Especial (PVE), indicada pelo Ministério da Saúde como ação de bloqueio de transmissão.
No dia 1° de maio, antes da enchente, o município contabilizava 9.569 casos confirmados de dengue e 17 óbitos. Agora, o painel do Governo do Estado mostra 11.221 casos e 22 óbitos na cidade.
Vacina
O Ministério da Saúde confirmou que a região do Vale do Sinos será contemplada com a vacina contra a dengue. A expectativa é que São Leopoldo receba mais de 3 mil doses. A distribuição deve ocorrer a partir da próxima semana. Os públicos-alvo serão divulgados nas páginas oficiais da Prefeitura.
Dengue e Leptospirose
O secretário da Saúde Julio Dorneles alerta que os sintomas das duas doenças podem ser confundidos. Ambas apresentam como sinais iniciais: dor de cabeça, dores musculares e febre alta. “Uma das diferenças da dengue pode ser a dor na parte de trás dos olhos. A leptospirose por vezes gera dor nas panturrilhas. É orientação nossa que não se espere o exame positivo da leptospirose para fazer profilaxia, mas é preciso que tenha ocorrido exposição para gerar essa necessidade. Ao menor sintoma de dores, procurem nossas unidades e hospitais de campanha”, indicou.
Reforço na equipe de agentes
As águas trazidas pelas cheias se tornaram o novo desafio para as equipes da prefeitura. Diariamente pontos estratégicos como borracharias, ferros-velhos, floriculturas e cemitérios são vistoriados por agentes. Com o objetivo de aumentar a atuação nos bairros, dez novos agentes de combate a endemias foram contratados e começaram a trabalhar no final de maio. No total, agora a prefeitura conta com 27 servidores espalhados em todas as regiões do município.
A Secretaria da Saúde reforça a importância dos moradores do município continuarem com os cuidados, evitando assim o risco do surgimento de possíveis criadouros para o mosquito. “Sabemos do momento difícil que as famílias atingidas passam. Apesar disso, precisamos nos manter vigilantes. Aumentamos nossas equipes e pedimos que a população permita a vistoria e acolha as orientações”, ponderou Dorneles. Os agentes são identificados com coletes e crachás.
“Além das visitas em residências e pontos estratégicos, fazemos ações direcionadas, aplicando inseticida. Pedimos que, na parte de dentro das casas, os moradores colaborem. Doenças como a dengue não tem necessariamente relação com sujeira, pois o mosquito se reproduz em água limpa. É necessário ter atenção com potes de plantas, ou mesmo o pote do animal de estimação, pneus e todo recipiente que acumule água”, acrescentou.
Cuidados dentro das casas e apartamentos
  • Tampe os tonéis e caixas d’água;
  • Mantenha as calhas sempre limpas;
  • Deixe garrafas sempre viradas com a boca para baixo;
  • Mantenha lixeiras bem tampadas;
  • Deixe ralos limpos e com aplicação de tela;
  • Limpe semanalmente ou preencha pratos de vasos de plantas com areia;
  • Limpe com escova ou bucha os potes de água para animais.
  • Área externa de casas e condomínios
  • Cubra e realize manutenção periódica de áreas de piscinas;
  • A água da piscina deve ser tratada o ano inteiro;
  • Limpe ralos e canaletas externas;
  • Atenção com bromélias, babosas e outras plantas que podem acumular água;
  • Deixe lonas bem esticadas, para evitar formação de poças d’água;
  • Guarde os pneus em local coberto ou fure-os para que não acumulem água;
  • Não deixe água da chuva acumulada em qualquer lugar.
Notícia anterior
Próxima notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escute a rádio ao vivo