Ministério da Saúde informa que São Leopoldo irá receber 3.361 vacinas contra dengue no dia da 21ª morte no município

5 de junho de 2024 - 16:32
Por Juliano Palinha

Justamente no dia que o Ministério da Saúde informa que São Leopoldo está entre as 61 cidade do RS que irá receber vacinas contra a dengue o município registrou sua 21º morte por causa da doença. São 12.131 pessoas contaminadas e a cidade lidera o número de óbitos no Estado até agora.

VACINAS

Nas listas das vacinas estão municípios do Vale dos Sinos, Vale do Rio Pardo e do Alto Uruguai. São 61 novas cidades gaúchas selecionadas pelo Ministério da Saúde, que se somam às outras seis da Região Metropolitana já contempladas. Para as três novas regiões, cerca de 19 mil doses do imunizante devem ser distribuídas na próxima semana.

Serão vacinadas as crianças e adolescentes entre 10 e 14 anos, idades que nacionalmente concentram maior número de hospitalizações dentro da faixa etária indicada pelo laboratório para receber a vacina (cinco a 60 anos). A vacina (de nome comercial Qdenga, da fabricante japonesa Takeda Pharma) não é autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para pessoas acima dos 60 anos, público que no RS concentra o maior número de óbitos.

Para ter proteção completa contra casos graves e hospitalizações por dengue, são necessárias duas doses do imunizante incorporado no Sistema Único de Saúde (SUS), com intervalo de três meses entre elas.

Confira a relação dos municípios contemplados e o total de doses recebidas nessa remessa:

  • Região 07 – Vale dos Sinos
  • Novo Hamburgo – 3.244
  • Dois Irmãos – 395
  • São Leopoldo – 3.361
  • Ivoti – 333
  • Sapiranga – 1.212
  • Campo Bom – 902
  • Portão – 532
  • Estância Velha – 714
  • Araricá – 145
  • Lindolfo Collor – 105
  • Nova Hartz – 345
  • Morro Reuter – 73
  • Presidente Lucena – 42
  • São José do Hortêncio – 63
  • Santa Maria do Herval – 69
  • Região 28 – Vale do Rio Pardo
  • Santa Cruz do Sul – 1.755
  • Venâncio Aires – 873
  • Sinimbu – 106
  • Candelária – 386
  • Vera Cruz – 349
  • Mato Leitão – 68
  • Rio Pardo – 486
  • Passo do Sobrado – 85
  • Vale do Sol – 120
  • Gramado Xavier – 54
  • Pantano Grande – 157
  • Vale Verde – 44
  • Herveiras – 41
  • Região 16 – Alto Uruguai Gaúcho
  • Erechim -1.428
  • Nonoai – 208
  • Paulo Bento – 28
  • São Valentim – 36
  • Marcelino Ramos – 52
  • Barão de Cotegipe – 86
  • Faxinalzinho – 30
  • Getúlio Vargas – 219
  • Áurea – 41
  • Gaurama – 65
  • Barra do Rio Azul – 21
  • Erebango – 45
  • Aratiba – 71
  • Campinas do Sul – 63
  • Severiano de Almeida – 45
  • Mariano Moro – 21
  • Entre Rios do Sul – 39
  • Jacutinga – 39
  • Três Arroios – 23
  • Rio dos Índios – 42
  • Itatiba do Sul – 42
  • Cruzaltense – 20
  • Carlos Gomes – 15
  • Erval Grande – 68
  • Viadutos – 53
  • Centenário – 31
  • Ipiranga do Sul – 21
  • Quatro Irmãos – 25
  • Estação – 70
  • Benjamin Constant do Sul – 33
  • Ponte Preta – 20
  • Charrua – 46
  • Floriano Peixoto – 13

Critérios para definição dos municípios

As cidades foram selecionadas pelo Ministério da Saúde com base no histórico de casos de dengue, na respectiva região, dos últimos dez anos. Mais precisamente 2013 a 2022, visto que a estratégia foi definida antes do encerramento do ano passado.

Segundo o Informe Técnico da estratégia de vacinação nacional, “considerando as dimensões continentais do Brasil, a heterogeneidade de transmissão em cada Região, e o limitado quantitativo de doses da vacina disponíveis para o ano de 2024, foram selecionados municípios de grande porte (população maior ou igual a 100 mil habitantes) com alta transmissão de dengue nos últimos 10 anos, incluindo os demais municípios das suas regiões de saúde de abrangência, independentemente do porte. populacional, ordenados pela predominância do sorotipo DENV-2 (reemergência recente) e pelo maior número de casos no monitoramento 2023/2024 (Semana Epidemiológica 27 de 2023 à Semana 02 de 2024)”.

Doses já aplicadas

Antes das regiões do Vale dos Sinos, Vale do Rio Pardo e do Alto Uruguai, já faziam parte da estratégia no RS as cidades de Porto Alegre, Viamão, Alvorada, Gravataí, Cachoeirinha e Glorinha, que no início de maio receberam cerca de 31,5 mil doses.

Segundo relatório do Ministério da Saúde até o dia 29 de maio, já haviam sido aplicadas no RS 1,4 mil doses. Na relação, ainda não constavam dados de Porto Alegre, que iniciou a aplicação na semana passada.

 

 

 

Notícia anterior
Próxima notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escute a rádio ao vivo