Auxílio Reconstrução: famílias do RS terão que confirmar dados no Gov.br a partir do dia 27

20 de maio de 2024 - 21:28

O governo federal informou nesta segunda-feira (20) que começou a montar o banco de dados que levará ao pagamento do “Auxílio Reconstrução” – um PIX de R$ 5,1 mil para as famílias que perderam bens pessoais e renda em razão das chuvas históricas que atingem o Rio Grande do Sul.

Segundo o ministro da Integração Regional, Waldez Góes, nesta semana a tarefa cabe às prefeituras — a partir de quarta (22). Elas terão que enviar ao governo federal uma lista das áreas atingidas.

A partir do dia 27, as famílias atingidas terão que acessar o portal gov.br e confirmar os dados passados pelas prefeituras.

Apenas quando esses dados forem confirmados e validados, segundo o governo, a parcela será transferida.

O cadastramento para o Auxílio Reconstrução vai acontecer da seguinte maneira:

  1. As prefeituras realizam o cadastro das famílias desalojadas ou desabrigadas, com informações pessoais e de endereço, no sistema do governo federal;
  2. Responsável pela família beneficiária confirma informações pela conta do gov.br;
  3. Caixa Econômica Federal realiza o pagamento em uma conta já existente ou abre uma nova conta para o beneficiário, que acessará o dinheiro com o aplicativo Caixa TEM

 

Atualmente, são 369 os municípios habilitados para que famílias recebam o benefício criado pelo governo federal.

Confira perguntas e respostas sobre o processo de pagamento dos benefícios, segundo o governo:

1. Quando vou receber?

A data do pagamento depende do envio das informações pelos municípios, o processamento dos dados, e a confirmação dos dados pela família. Quanto antes a prefeitura enviar os dados e a família confirmar no sistema, mais rápido o dinheiro entra na conta.

O sistema para recebimento das informações das prefeituras começa a operar dia 22/05 e o sistema para confirmação das informações pelas famílias entra no ar dia 27/05.

2. Preciso abrir conta bancária?

 

Não. A Caixa Econômica abrirá uma conta poupança social digital automaticamente em nome do beneficiário. Se a pessoa já tiver conta na Caixa, o dinheiro será depositado nessa conta.

3. Sou beneficiário do Programa Bolsa Família. Vou receber o auxílio reconstrução?

 

O auxílio reconstrução é voltado para famílias que tiveram que sair de suas casas e buscar abrigos ou ir para casa de amigos e parentes devido às chuvas e perderam parte ou todos seus bens. Beneficiários do Beneficiários do Bolsa Família que estiverem nessa situação poderão receber o auxílio.

Beneficiários do Bolsa Família que não estiverem nessas situações, não são elegíveis para o auxílio reconstrução.

4. Estou recebendo seguro-desemprego. Posso receber o auxílio reconstrução?

 

Sim. Se for morador de área atingida informada pela prefeitura, teve que sair de sua casa e perdeu bens com a chuva, você poderá receber o auxílio reconstrução.

5. Preciso estar no Cadastro Único para receber o auxílio reconstrução?

 

Não. Para receber o auxílio, basta a prefeitura informar os dados das famílias desalojadas ou desabrigadas das áreas atingidas, com endereço completo comprovado.

6. Moro na mesma casa com minha esposa e filhos. Nós dois temos direito de receber o auxílio reconstrução?

 

Não. Cada família pode receber apenas um auxílio reconstrução. O recebimento de mais de um auxílio reconstrução por família constitui fraude, sujeito a sanções penais e cíveis cabíveis, além de ressarcir à União o valor do Apoio Financeiro recebido.

7. Como vou saber se a prefeitura enviou dados da minha família?

 

A partir do dia 27/05, você poderá acessar o sistema usando login e senha do GovBr e neste sistema você será informado se os dados de sua família já foram enviados.

8. Serei avisado para entrar no sistema para confirmar os dados?

 

Recomendamos que acesse o sistema periodicamente. Além disso, sugerimos que baixe o aplicativo do GovBr em seu celular e o mantenha atualizado.

9. Existe alguma regra para uso do dinheiro?

 

Não. O Auxílio Reconstrução é uma ajuda do Governo Federal para que as famílias possam retomar suas vidas, para quem perdeu geladeira, fogão, televisão, sofá, colchão possa comprar esses bens, para quem teve a casa parcialmente destruída possa fazer uma pequena reforma. Cada família sabe a melhor forma de utilizar o recurso.

Por G1
Notícia anterior
Próxima notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escute a rádio ao vivo