Dengue em São Leopoldo chega a 178 casos e 94 sob investigação nesta quarta-feira

14 de fevereiro de 2024 - 17:37
Por Juliano Palinha

O número de casos de dengue em São Leopoldo segue crescendo e assustando. Nesta quarta-feira (14), conforme o painel de monitoramento de Aedes aegypti do Estado, o município chegou a 178 casos de pessoas com dengue e 94 sob investigação. No total o município já registrou 314 notificações nesses 44 dias do ano. Quarenta em dois casos foram descartados.

Desde o início do ano agentes da Secretaria de Vigilância em Saúde estão percorrendo os bairros de São Leopoldo orientando a população. Na semana passado o prefeito Ary Vanazzi retomou a força-tarefa envolvendo todas as secretarias e com várias ações tentando combater o mosquito.

Medidas anunciadas

Na atividade serão abordados assuntos como: Epidemiologia das arboviroses, manejo clínico da dengue e fluxos municipais. A compra de testes rápidos é uma das ações em discussão para um maior controle. Porém, os testes não são 100% eficientes, por isso é necessário que a equipe responsável esteja bem orientada e treinada sobre os possíveis erros (falso negativo).

Também será liberado horas-extras para profissionais ligados ao combate e tratamento da doença. As unidades básicas seguem como referência de atendimento. As UBS´s Cohab Feitoria e Brás atendem até as 20 horas. Centro de Saúde Feitoria, Upa Zona Norte e Hospital Centenário ficam abertos 24 horas.

Assistência Social – A Secretaria de Assistência Social (SAS) fará um levantamento das famílias vinculadas ao Bolsa Família para receberem repelentes de forma gratuita. O produto é entregue atualmente em locais com casos confirmados.

Orçamento Participativo – Agentes serão chamados para ajudar na conscientização de lideranças e moradores dos bairros.

Comunicação – Ampliação de horas de carros de som para rodar nos bairros com maior incidência de casos. Novos panfletos serão impressos para orientação de moradores. Materiais informativos estão disponíveis nas redes sociais.

Serviços Urbanos – Junto com a Vigilância Ambiental, a secretaria terá a função de organizar mutirões para recolhimento de materiais e recipientes que acumulam água.

No Estado são 3.804 pessoas contaminadas e três mortes.

Cuidados dentro das casas e apartamentos

  • – Tampe os tonéis e caixas d’água;
  • – Mantenha as calhas sempre limpas;
  • – Deixe garrafas sempre viradas com a boca para baixo;
  • – Mantenha lixeiras bem tampadas;
  • – Deixe ralos limpos e com aplicação de tela;
  • – Limpe semanalmente ou preencha pratos de vasos de plantas com areia;
  • – Limpe com escova ou bucha os potes de água para animais.

Área externa de casas e condomínios

  • – Cubra e realize manutenção periódica de áreas de piscinas;
  • – A água da piscina deve ser tratada o ano inteiro;
  • – Limpe ralos e canaletas externas;
  • – Atenção com bromélias, babosas e outras plantas que podem acumular água;
  • – Deixe lonas bem esticadas, para evitar formação de poças d’água;
  • – Guarde os pneus em local coberto ou fure-os para que não acumulem água;
  • –  Não deixe água da chuva acumulada em qualquer lugar.

Cuidado e sintomas

A população deve ficar atenta aos sintomas: dor de cabeça e febre alta, dor atrás dos olhos, dor muscular, dor nas articulações, apresentar manchas vermelhas na pele, erupções na pele, náuseas, vômitos. Neste caso, a orientação é que a pessoa procure a unidade básica de saúde mais próxima de sua casa.

Denúncias

Moradores que tiverem denúncias de água parada devem contatar a Ouvidoria SUS pelo telefone 2200-0736, de segunda a sexta-feira, das 9h às 14h ou pelo e-mail ouvidoria.sus@saoleopoldo.rs.gov.br. Outra opção é o atendimento presencial no Centro Administrativo, na avenida Dom João Becker, 754, Centro, das 9h às 14h.

 

 

 

Notícia anterior
Próxima notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escute a rádio ao vivo