Presos atuam na limpeza de escolas atingidas pela enchente no Vale do Taquari

12 de setembro de 2023 - 17:42

Em municípios afetados pela enchente no Vale do Taquari, pessoas privadas de liberdade têm atuado na limpeza de escolas a partir de uma força-tarefa iniciada pela Susepe (Superintendência dos Serviços Penitenciários) no dia 6 de setembro. Até o momento, cerca de 140 apenados de unidades prisionais de Venâncio Aires, Charqueadas, Montenegro, Bento Gonçalves, Guaporé, Encantado, Arroio do Meio e Lajeado já foram mobilizados para auxiliar a população.

A iniciativa é marcada pela cooperação entre a Secretaria de Sistemas Penal e Socioeducativo (SSPS), por meio da Susepe, e a Secretaria da Educação (Seduc). Em reunião realizada no sábado (9), na sede da 3ª Coordenadoria Regional de Educação, em Estrela, as instituições alinharam o planejamento dos próximos dias para utilização de mão de obra prisional na limpeza e restauração das escolas estaduais.

O encontro contou com a participação do secretário-adjunto da SSPS, Cesar Kurtz, do superintendente da Susepe, Mateus Schwartz, da secretária da Educação em exercício, Stefanie Eskereski, e da delegada penitenciária da 8ª Região, Samantha Longo, que é a coordenadora da ação de reestruturação das escolas.

A Seduc indicou uma lista com as escolas prioritárias e forneceu os materiais de limpeza necessários para que os apenados pudessem desempenhar os serviços nos espaços. Sete unidades estão sendo atendidas inicialmente: em Lajeado, o Colégio Estadual Presidente Castelo Branco e a Escola de Ensino Fundamental Fernandes Vieira; em Roca Sales, a Escola de Educação Básica Padre Fernando; em Muçum, a Escola de Ensino Médio General Souza Doca; em Encantado, a Escola de Ensino Fundamental Antônio de Conto; em Venâncio Aires, a Escola de Ensino Médio de Mariante; e em Estrela, a Escola de Ensino Fundamental Moinhos.

Instituições municipais também receberam o apoio do trabalho de pessoas privadas de liberdade. Em Encantado, os apenados realizaram a limpeza da Escola de Educação Infantil Lago Azul, da Escola de Educação Infantil Pequeno Príncipe e da Escola de Ensino Fundamental Érico Veríssimo.

Em um segundo momento, com o objetivo de retomar a rotina escolar no menor prazo possível, será avaliado o uso de mão de obra prisional para restaurações de pequena e média complexidade nos estabelecimentos. Os apenados também prestam serviços de limpeza e remoção de entulho de vias públicas, postos de saúde, instituições sociais e sedes das forças de segurança dos municípios. Além disso, auxiliam nos centros de distribuição da Defesa Civil, conforme demanda indicada pelos coordenadores locais.

Os presos que atuam nessa força-tarefa são provenientes de unidades prisionais dos regimes fechado e semiaberto, que já desempenhavam algum tipo de atividade laboral nos estabelecimentos. Eles possuem autorização judicial para trabalhar, que é sempre solicitada pela Susepe, e são supervisionados por agentes penitenciários durante a jornada. As demandas de limpeza em cada escola são avaliadas diariamente e ocorrem de acordo com a disponibilidade de apenados e servidores, que também se voluntariaram para auxiliar as cidades atingidas.

Notícia anterior
Próxima notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escute a rádio ao vivo