Rio do Sinos chega a 5,76 metros e pode subir até 5 cm por hora até o meio-dia de amanhã

18 de junho de 2023 - 22:47

Conforme a Defesa Civil de São Leopoldo, às 22 horas, o nível do Rio do Sinos chegou a 5,76 metros de acordo com apontamento da Defesa Civil de São Leopoldo, através da régua do Serviço Geológico do Brasil (ANA/CPRM), localizada na rua da Praia. A elevação é de aproximadamente 5cm/h. Nessa situação segue o protocolo de alarme, conforme disposto no Plano de Contingência inclusive com a continuidade do processo de remoção de famílias de locais onde a água pode atingir as casas.

Em live o prefeito Ary Vanazzi (PT) disse na noite de hoje (18)  que uma nova live será feita no início da segunda-feira para saber se o rio segue subindo e também  definir ações de acordo com a situação do rio. “Na São Geraldo, Camélias, por exemplo, a situação é delicada e as famílias estão sendo retiradas  enquanto no ginásio Celso Morbach  muitos ainda estão lá recebendo toda a atenção e assistência. Por exemplo, a alimentação está ficando escassa, não temos mais cobertores e colchões. Realmente a população está  sendo solidária, mas a necessidade é muita grande”, destacou o prefeito.

Por enquanto não foi possível contabilizar o números de pessoas que deixaram suas casas. As áreas que ficam na macha de inundação estão localizadas nas ruas da Praia (Rio dos Sinos); das Camélias (Pinheiro); Alberto Ramos (Feitoria); Frederico Meyer (Feitoria); Carlos Bier (Feitoria); Pottenstein (Feitoria); Otto Daudt (Feitoria), e Eugênio Emílio Dias (Feitoria).
Por outro lado, há locais onde a água baixou e não existe risco de novos alagamentos. Como foi o caso das pessoas que residem no final da rua Arariad, no bairro Campina. Dessa localidade, 90 pessoas retornaram para suas casas. Essas famílias estavam alojadas no Ginásio Municipal Celso Morbach. Elas receberam doações de alimentos, roupas, colchões, itens de higiene e limpeza e foram transportadas em dois caminhões do 19° Batalhão de Infantaria Motorizada (Bimtz) do Exército Brasileiro.

Diques

“Infelizmente tem muita gente espalhando mentiras sobre o dique, que pode estourar. Moro a 250 metros do dique na Campina. Não há risco e quem espalha essas mentiras merece cadeia. Podem ficar tranquilos, dormir sossegados. Moramos numa cidade rica em água, mas nesse momento isso é uma tragédia.”

Ajuda da União 

“Até o final do mês ou metade de julho poderemos receber recursos para ajuda das pessoas, mas sobre isso os ministros não confirmaram nada porque a avaliação técnica começa a ser feito amanhã, com três equipes nossas mais do Estado e União. Precisa comprovar tudo. Não há dados e sem isso não tem como falar sobre números.”

Limpeza da cidade

“Teremos um grande desafio que é limpar a cidade e vamos precisa de recursos e será muito difícil.”

 

Notícia anterior
Próxima notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escute a rádio ao vivo