“É preciso aprender com os erros do passado para que não se repitam na eleição seguinte”, vereador Falcão (MDB)

19 de janeiro de 2023 - 11:56
Por Sônia Bettinelli

Com o poder conferido legitimamente pelo voto, os vereadores Falcão (MDB), Gabriel Dias (Cidadania) e Hitler Pederssetti (UB) deram início ao movimento definido por eles como pluripartidário do projeto para os próximos 20 anos de São Leopoldo. O desafio é alcançar a sociedade civil e partidos para a mudança no rumo da cidade que tem como marco principal a eleição de 2024.

“Entendemos que nós vereadores que fazemos a fiscalização e denuncia da administração, quando necessário, precisamos trabalhar ativamente pela união da oposição. Em 2019 não participei ativamente, acompanhei e todos sabemos como é difícil de unir especialmente quando começa a afunilar, lá em março/abril de 2024 quando ocorrem mudanças de partidos e os interesses de cada partido. É delicado, precisamos de cautela, mas por outro lado não podemos esperar até lá para começar esse movimento, esse debate. É preciso aprender com os erros do passado para que não se repitam na eleição seguinte”, disse o vereador Jeferson Falcão (MDB) no Berlinda News Entrevista de hoje (19).

A avaliação do emedebista foi menos de 24 horas após o encontro com os colegas Gabriel Dias e Pederssetti, exatamente o início das conversas para o movimento que terá identidade visual, ações, reuniões tratando de projeto para gestão da cidade e não para uma disputa focada em derrotar o atual governo. “Nossa oposição é ao governo e não à cidade. Lamentamos que a base não trabalhe dessa forma, mas nossa proposta é fazer com que a população entenda que queremos projeto para a população, para uma cidade melhor”, destaca.

Movimento aberto

“Tratamos ontem de um movimento político aberto e não de uma chapa para 2024. Agora vamos falar com os políticos, com a sociedade para buscar um consenso de quem não se sente representado pelo atual governo. Tem que ser agora, caso contrário lá em 2024 chegam alguns de paraquedas. Quem quer ser prefeito, o gestor da cidade precisa participar do dia a dia, tem que estar presente.”

CPI da Saúde

“Antes mesmo dos acontecimentos de dezembro de 2022 já havia a conversa sobre uma CPI da Saúde para saber como está sendo investido os recursos já que isso não vemos no atendimento às pessoas que acabam ficando sem médico, sem serviços. E a investigação policial envolvendo nomes do governo só reforçou a necessidade da CPI, mas que não será fácil conseguir as cinco (5) assinaturas para criar a comissão. Vamos buscar os colegas Brasil Oliveira, o Lemos, que por muitas vezes se posicionaram contra o governo para a criação, mas sabemos que não será fácil”.

Autismo

“Com certeza minha principal conquista de 2022 no plenário é a política do autismo, a princípio pequenos gestos como os cartazes de identificação, direito ao assento no transporte, censo, acompanhamento na escola. Apenas uma das quatro leis de minha autoria foi sancionada pelo prefeito Vanazzi, as demais foram promulgadas pelo Legislativo. Na minha avaliação o único motivo para o prefeito silenciar é por ser de um vereador de oposição porque é urgente a criação das políticas públicas para essa parte da população que aumenta a cada dia. Precisamos dar visibilidade aos autistas, familiares e de todas as demais necessidades especiais.

Ouça o programa completo

Notícia anterior
Próxima notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escute a rádio ao vivo