É através da política que vamos conseguir a mudança. Não é através da força”, afirma o vereador do Cidadania, Gabriel Dias

11 de janeiro de 2023 - 10:58

O vereador de São Leopoldo, Gabriel Dias, do Cidadania, foi o convidado desta quarta-feira (11) do Berlinda News Entrevista que iniciou a conversa falando sobre o vandalismo que ocorreu nos prédios dos três poderes, em Brasília, no último domingo.

Apesar de não concordar com o ocorrido, Dias também afirmou não concordar por completo com as decisões do juiz Alexandre de Moraes. “É um abuso o que o Moraes fez, afastando o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha. Neste caso, deveria ter feito o mesmo com o ministro da Justiça, Flávio Dino, que também sabia dos atos”, afirmou ele que fez elogios ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “Lula está mais radical que o Lula paz e amor dos outros governos. Ele uniu o Brasil em 15 dias, ele conseguiu juntar todos os 27 governadores de uma só vez.”

Ainda sobre este tema, o vereador alertou sobre o radicalismo político e ressaltou que o melhor para a sociedade é que as pessoas saiam de suas próprias bolhas. “Se você fica preso na sua bolha, você acaba desacreditando outras bolhas, ou seja, ouros meios de comunicação. Isso faz com que a máquina de comunicação produza o que você deseja. Não precisamos comprar a bandeira do bolsonarismo para fazer oposição ao PT. É através da política que vamos conseguir a mudança. Não é através da força.”

Outros assuntos discutidos no programa foi o não atendimento da Unidade Móvel de Saúde e o estado do prédio da Câmara Municipal de Vereadores.

Sobre a Unidade, Gabriel Dias afirmou que o ônibus está em manutenção e a equipe que deveria atender na unidade móvel, está atendendo nas UBS’s. “A questão é que o governo deveria ter avisado a comunidade sobre esta manutenção.”

Já em relação à estrutura da Câmara, o vereador mostrou preocupação. “A Câmara está esperando acontecer alguma tragédia com o prédio, porque nem PPCI dá pra fazer, segundo os Bombeiros. O prédio não tem mais condições, tem que sair de lá. Milhares de pessoas transitam ali todas as semanas e é um perigo.”

Ouça abaixo a entrevista completa

Notícia anterior
Próxima notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escute a rádio ao vivo