Geison Freitas assume interinamente o PDT para reconstrução partidária, diz a Executiva

23 de dezembro de 2022 - 14:45
Por Sônia Bettinelli

Investigado na operação Consiglieri (Conselheiro), o vereador Rafael Souza pediu licença da presidência do PDT e com isso Geison Freitas é o presidente interino do partido com Juliano Maciel (1º vice-presidente) e Fabiano Haubert (2º vice-presidente). A decisão ocorreu hoje (23) em reunião da executiva que disse: …“buscando o caminho de consenso, a fim de ter a tranquilidade necessária para a reconstrução partidária…diz parte da nota enviada à imprensa. Os demais cargos da executiva seguem sem alterações”.

É a reação imediata após a operação policial de quarta-feira (21) que resultou na suspensão do exercício político do vereador Rafael Souza na Câmara de Vereadores, assim como do seu chefe de gabinete Eduardo Schmitz, e da exoneração de Tiago Gomes da secretaria de administração e Venalto Severo de secretário adjunto do Semae.

A nota da Executiva

De antemão o PDT Leopoldense repudia qualquer ato de corrupção, improbidade ou imoralidade e não vai compactuar com qualquer ato nesse sentido. O partido segue a linha, a memória e a história de Ary Moura e Olimpio Albercht, que deixaram um legado em São Leopoldo, além da trajetória irretocável de Brizola, nesse sentido, prezamos pela manutenção da imagem politica do PDT, construída ao longo do tempo pelo trabalhismo.
O presidente Rafael encaminhou na data de hoje o pedido de licença da função de Presidente Municipal para se dedicar a sua defesa. O Partido recebeu o pedido e encaminhou ao Presidente Estadual do PDT. Em abril de 2023 ocorre eleições municipais do partido.
Reafirmamos que o PDT é um partido limpo, honesto, integro e que fatos isolados de alguns filiados não correspondem ao histórico do PDT, e, após a finalização dos processos judicias as medidas internas serão tomadas.

Entenda o caso

Segundo o delegado da Draco, Ayrton Martins, o vereador Rafael Souza está sendo investigado como líder de associação criminosa estável após ter sido denunciado, em 2020, de cobranças por parte de agentes públicos para liberação de alvarás para empresas. O vereador foi secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Turístico e Tecnológico entre 2017 e 2020, período em que Venalto também atuou na pasta. Ainda de acordo com o delegado, que deu entrevista exclusiva para o repórter Juliano Palinha, uma das situações investigadas é de que Souza teria cobrado R$ 8 mil para fornecer documentos a empreendimentos comerciais.

No inquérito, consta uma fotografia de um bilhete com a inscrição “8k”, que seria referência a 8 mil. O delegado explicou que houve dificuldades na investigação, já que empresários que teriam feito pagamentos se negaram a depor.

Durante a apuração, a Draco verificou não só ações de supostas cobranças para liberação de alvarás, mas também a suposta prática de “rachadinha”. Foram pedidos os afastamentos de todos, celulares recolhidos, carros e bens bloqueados pela justiça.

Notícia anterior
Próxima notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escute a rádio ao vivo