ECOS DO PROFESSOR DOUGLAS: Futebol de “linha de produção”

26 de novembro de 2022 - 12:13

Devia ser bom quando os Fenícios trocavam mercadoria por sal, hoje é o tal salário.

Não fosse o tal, que quantifica tudo, não teríamos essa COPA fora de hora e de lugar, e o pior, sem qualidade de futebol.

Quem é o Qatar em termos futebolísticos? Potência, financeira sim, resultado: jogadores desgastados, clima não propício, lesões gravíssimas, etc. Culpa de quem? Do “salário” quem dá mais leva.

Temo, enquanto por aqui, do futebol de “linha de produção”, que se não passar no “controle de qualidade”,vai parar no depósito. Não teremos mais os “Cafus da vida” que gastou muitos pares de tênis velhos até conseguir um lugar ao sol.

Vi e trabalhei com muitos que passaram por essas “fases” que no futuro tiveram maior ou menor sucesso. É da vida!

Estou contando os dias para para que essa copa “fora de lugar” termine logo e que as condições técnicas dos elencos, sejam mais importantes que o dinheiro que os ricos pagam para se divertir.

Jogador de qualquer esporte deve ser respeitado em nome da saúde esportiva e do espetáculo, que assim volte a ser enquanto tem tempo.

Témaisss!!!

Notícia anterior
Próxima notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escute a rádio ao vivo