Apenados do Instituto Penal de São Leopoldo já estão prestando serviços de limpeza e capina no município

3 de novembro de 2022 - 15:40
Por Juliano Palinha

Em torno de 75 apenados do Instituto Penal de São Leopoldo (IPSL) serão contratados pela Prefeitura, através da Assistência Social, para prestar serviços de mão de obra na cidade. Na semana passada a diretora do Instituto, Fernanda Camargo, esteve reunida com o secretário Fábio Bernardo, para alinhar ações de contratação de mão de obra prisional. “Dois já comecaram a trabalhar no dia 1 na Assistência Social, mas o número irá aumentar”, comentou a diretora com exclusividade a reportagem da Berlinda.

O acordo faz parte de um termo de cooperação firmado entre a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) e o município. O objetivo é a utilização de mão de obra prisional nas atividades de recolhimento de lixo e resíduos, varrição, capina e roçada nos logradouros públicos, limpeza de sanitários públicos, cemitérios, praças e canil municipal, dentre outras atividades.

A diretora explica que cada apenado ganhará salário, vale transporte e alimentação e terá remição da pena. “Não há necessidade dos apenados terem carteira assinado, este termo e cooperação firmado entre município e Susepe possibilidade o trabalho através deste protocolo de ação conjunta” salienta.

Projeto piloto

Fernanda diz que é um projeto piloto aqui em São Leopoldo. Durante a reunião, que ocorreu na semana passada, a diretora apresentou a metodologia de trabalho desenvolvida pela equipe do IPSL para a triagem, a capacitação, o direcionamento e o encaminhamento dos apenados para os cargos ofertados pelo município. O processo dura, em média, uma semana.

Depois, são realizadas dinâmicas em grupo e individuais, com conversas sobre a importância do trabalho na busca da dignidade e a necessidade de comprometimento do apenado com a oportunidade que lhes está sendo ofertada. Essas atividades são realizadas semanalmente pelos grupos, antes e após o início do trabalho.

De acordo com Fernanda, esta é forma de mantê-los motivados e comprometidos com o que foi combinado antes de assumirem os serviços. “Além disso, demonstramos que, enquanto instituição, estamos comprometidos, interessados e preocupados com o futuro deles”, afirmou.

A diretora do IPSL ainda aproveitou o momento para destacar que uma das formas de proporcionar um retorno saudável e digno do apenado à sociedade é por meio do trabalho. “É uma forma de o apenado aproveitar o período de cumprimento de pena para se qualificar profissionalmente, a fim de conseguir encontrar mais facilmente um emprego após a saída do sistema prisional, provendo o seu sustento e de sua família e evitando a reincidência”, completou.

O Instituto Penal de São Leopoldo conta com 194 apenados, segundo a diretora, 60% mantém trabalho externo ativo.

Notícia anterior
Próxima notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escute a rádio ao vivo