POR SÔNIA BETTINELLI: O PDT de São Leopoldo no período pós Ary Moura

5 de junho de 2022 - 21:35
Por Sônia Bettinelli

Ontem Vieira da Cunha e Ciro Simoni, respectivamente pré-candidato ao Piratini e presidente estadual do PDT, permaneceram ao lado da viúva Maria Teresa e dos filhos Amélia, Carol e Carlinhos. Ciro Simoni amparou Maria Teresa enquanto Vieira da Cunha e a filha Amélia estavam cabisbaixos vivendo a dor do momento. Assim como a família terá que se “recompor”, o PDT da cidade também precisará da direção estadual  para o novo período, agora sem a presença da maior liderança pedetista da cidade.

Respeitoso e silencioso

Nas duas últimas semanas, pedetistas e petistas mais próximos de Ary Moura e Ary Vanazzi, estabeleceram um acordo respeitoso e silencioso. “Sabíamos do quadro grave do Ary, mas por respeito não conversamos nem entre nós”, disse uma fonte da cúpula do sétimo andar. Porém, a partir de hoje, pedetistas e petistas terão que enfrentar a dor e o luto e tratar de questões administrativas inadiáveis que até agora poderiam ser resolvidas com assinatura eletrônica.

O ciclo pós Ary Moura

Acredito que o ponto  facultativo de hoje (6), decretado por Vanazzi no Centro Administrativo e no Semae, será para que todos possam se recompor das últimas 24 horas. Mas a partir de terça-feira, a administração municipal e o PDT de São Leopoldo estarão vivendo o ciclo pós Ary Moura.

Em claro

Integrantes do PDT não mediram esforços para que a cerimônia de despedida  fizesse jus à importância e liderança de Ary Moura. O secretário de Esportes, Douglas da Lua, foi para o ginásio logo após a definição que o velório seria lá para organizar. Passou a madrugada em claro e durante o dia a preocupação era com goteiras, problema que foi solucionado e não atrapalhou em nada durante todo o dia.

Notícia anterior
Próxima notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escute a rádio ao vivo