Porque o reajuste dos servidores municipais de São Leopoldo não foi votado ontem?

5 de maio de 2022 - 21:42
Por Sônia Bettinelli

Oficialmente o reajuste de 15,43% para os servidores municipais de São Leopoldo, administração direta e indireta, não foi votado ontem (5) por necessidade de adequações. Mas o que foi debatido por longos minutos (logicamente sem som para quem acompanhava pela TV Câmara) passou longe de qualquer adequação na matéria específica dos servidores. Também estava na pauta de ontem, projeto da Mesa Diretora sobre reajuste dos vereadores de 11,73%  que foi retirado pelo presidente Tarzan Correa.

Desgaste eleitoral

Votar reajuste do próprio salário significa repercussão negativa, desgaste eleitoral para todos, especialmente para quem é pré-candidato na eleição de outubro. Mesmo que o percentual seja a reposição da inflação (INPC) e abaixo do que será concedido aos servidores, haverá cobrança e crítica.

Na carona não

Na prática do plenário, os 13 vereadores precisam estar presentes em momentos assim, ou seja, dizer se é favorável ou contrário, mas assumir a responsabilidade para que o desgaste não seja só para alguns.

Desentendimento entre governistas

Sobre a canelada do governo/governistas na sessão de ontem (5), uma série de versões sobre o verdadeiro motivo da retirada da votação do reajuste está circulando nos bastidores. Uma das versões seria de uma “briga” entre governistas antes da sessão. Para poder retirar o reajuste dos vereadores, a decisão foi começar pelo reajuste dos servidores, ou seja, pagaram a conta de uma briga interna.

Combo

Na sessão extraordinária de segunda-feira, 9, a matéria espinhosa estará junto com o reajuste dos servidores. Todos os vereadores titulares terão que votar.

 

 

 

Notícia anterior
Próxima notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escute a rádio ao vivo