Sapucaia do Sul e Novo Hamburgo registram óbitos por causa da dengue

27 de abril de 2022 - 18:21

Foram confirmadas nesta quarta-feira (27) mais quatro mortes por dengue no Estado. Os óbitos foram em residentes das cidades de Sapucaia do Sul, Novo Hamburgo, Cachoeira do Sul e Lajeado

Com essas, chegam a 12 o número de óbitos pela doença no ano, maior volume já registrado na série histórica. O número de casos contraídos dentro do Estado (chamados de autóctones) também é o maior em um ano: são mais de 12 mil casos até o momento.

A Secretaria da Saúde (SES) publicou hoje o comunicado do alerta máximo contra a doença no Rio Grande do Sul. A prevenção deve ser feita eliminando locais com água parada, onde o mosquito transmissor, o Aedes aegypti, se reproduz.

Infestação em 89% das cidades gaúchas

O Rio Grande do Sul possui neste momento 442 municípios considerados infestado pelo Aedes aegypti. É o maior número de cidades nessa situação na série histórica do monitoramento, realizado desde 2000.

O expressivo número de casos e a larga distribuição do inseto pelo Rio Grande do Sul levam a SES a reforçar junto a população as medidas de prevenção. A principal ação é a eliminação de locais com água parada, que servem de pontos para o desenvolvimento das larvas do mosquito. Essa proliferação acontece em maior volume nesta época do ano, que alia temperaturas altas com chuvas mais recorrentes.

SÂO LEOPOLDO

Números do dia
Dados da quarta-feira, dia 27: São Leopoldo contabiliza 698 casos confirmados da doença e 595 são considerados suspeitos. Entre os bairros com registros estão: Arroio da Manteiga, Boa Vista, Campestre, Campina, Feitoria, Fião, Jardim América, Morro do Espelho, Pinheiro, Rio Branco, Santa Teresa, Santo André, Santos Dumont, São José, Centro, Padre Reus, Cristo Rei, São Borja, São João Batista, Duque de Caxias e Scharlau.
Notícia anterior
Próxima notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escute a rádio ao vivo