OUTUBRO: Vem aí o bloco dos pré-candidatos, com nove vereadores na comissão de frente

2 de março de 2022 - 20:11
Por Sônia Bettinelli

Na véspera da primeira sessão de março, amanhã, 3, vale um olhar mais atento para o plenário da Câmara de Vereadores de São Leopoldo, que se fosse uma escola de samba, teria a comissão de frente fechada para outubro. Dos 13 vereadores, nove (9) são citados, especulados e confirmados como pré-candidatos a deputado estadual e federal, enquanto quatro (4) ainda não figuram ou ainda não verbalizaram desejo de entrar nessa disputa.

Pré-candidatos à Assembleia Legislativa

Ana Affonso (PT) – Entra na disputa para  valer, que é seu desejo de um segundo mandato de deputada, e também porque precisa  se consolidar como liderança local e estadual do PT. Sobre 2024, Prefeitura de São Leopoldo, por ser cunhada do prefeito Vanazzi, só poderia colocar seu nome, caso Vanazzi renunciasse.

Rafa Souza (PDT) – É um vereador jovem que gosta de desafios, inclusive internamente no PDT e no governo. Sua pré-candidatura ainda é um desejo pessoal. Como o presidente do PDT, Ary Moura, disse que o partido terá só um candidato a deputado estadual, a decisão deve passar por uma prévia entre Rafa Souza e Régis Marques.

Gabriel Dias (Cidadania) –  É pré-candidato para buscar vaga, mas muito também para se consolidar e fortalecer como alternativa para a Prefeitura em 2024.  No plenário, é atuante e tem posicionamento político forte sobre iniciativas locais. No plenário, joga com o Regimento Interno debaixo do braço. Já mudou decisões inclusive da Mesa Diretora.

Marcelo Dentinho (PTB) – Dos nove (9) postulantes à pré-candidatura, é uma incógnita sobre posicionamento político. Nas questões municipais, Marcelo Dentinho se manifesta apenas pelo voto, sem justificativa. Independente de acionar a tecla verde ou vermelha do painel de votação, falta embasar e defender sua posição independente de vaia ou aplauso.

Lemos (PSB) – Liderança forte e consolidada na “Baixada”, o vereador mais votado em 2020 o amigo do povo”, Lemos quer chegar à Assembleia Legislativa, mas também está de olho e movimenta para 2024. A prioridade são filiações para fazer do PSB um partido forte. Tem articulações política com parlamentares de partidos e ideologias diferentes na busca de emendas para a cidade. No plenário tem posição política definida; o povo.

 

Pré-candidaturas à Câmara Federal

Iara Cardoso (PDT) – Inicialmente entra atendendo pedido da Ação da Mulher Trabalhista  (AMT)  nacional, mas disposta a chegar em Brasília. Porém, articulada, conhecedora dos bastidores da política, Iara trabalha para consolidar degraus em casa, quer ser a  liderança do PDT local e regional, o que é legitimo de todos que são políticos.

Nestor Schwertner (PT) – A pré-candidatura de 2022 é para fortalecer seu nome dentro do PT para 2024. Sem Vanazzi, o PT local tem a sua própria disputa para a sucessão do atual prefeito. Precisa mostrar trabalho, prestígio e votos na cidade, o que vier a mais será lucro total.

Marcel Frison (PT) – A pré-candidatura de 2022 é focada na disputa interna do PT para a sucessão de Vanazzi em 2024. Eleito vereador em 2020, Marcel vai para o plenário para concorrer e após o pleito deve voltar para o primeiro escalão, inclusive porque tem perfil de executivo. A passagem pela Câmara é um dos papeis a cumprir visando a carreira política. Marcel e Nestor, respectivamente AE e DS, vão reviver a histórica disputa entre as correntes tendo Vanazzi e Zulke como protagonistas.

Hitler  Pederssetti (DEM) – Se confirmar a pré-candidatura a deputado federal, será uma aposta do delegado Heliomar Franco, segundo colocado na eleição de 2020 pela Prefeitura. Por diversas vezes, Heliomar diz que a política vai melhorar quando novas lideranças tiverem espaço para se mostrar. Hitler tem uma relação próxima com o delegado.

Notícia anterior
Próxima notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escute a rádio ao vivo