Governistas com discurso para rejeitar retirada do IGP-M da base de cálculo do IPTU/2022/São Leopoldo

18 de novembro de 2021 - 21:53
Por Sônia Bettinelli

Sobre a retirada do IGP-M da base de cálculo do IPTU de São Leopoldo, proposta  dos vereadores Gabriel Dias (Cidadania) e Falcão (MDB), a única possibilidade é que os autores convençam dois vereadores da base a votarem com a oposição”. Pelo cenário atual, dois (2) votos de governistas atingiriam a maioria simples de sete (7), isso contando com os votos de Brasil Oliveira, Hitler, Falcão, Gabriel, Lemos.

10%

Segundo a proposta dos vereadores Gabriel e Falcão, que está na CCJ, sem o IGP-M na base de cálculo, o reajuste seria de pouco mais de 10%.

Constrangimento nas bases

O principal argumento junto aos governistas é insistir e pressionar junto às bases eleitorais como discurso de mais um aumento no orçamento mensal.

Discurso pronto

Mas a base governista  já tem discurso de defesa ao governo que se encaixa em diversas situações. Os pedetistas Iara Cardoso e Rafa Souza, na sessão de hoje, foram pela mesma linha.” Nós (governo) também gostaríamos de não ter impostos, mas os tributos são necessários para a saúde financeiro do município e assim garantir os serviços à população“, disse Rafa Souza. “Eu queria imposto único, mas não é possível”, reforçou Iara Cardoso.

Quase 15%

Do discurso da tribuna para a realidade, o reajuste do IPTU 2022 em São Leopoldo será bem  próximo a 15%, ou seja, média do IGP-M, INPC e IPCA.

Notícia anterior
Próxima notícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escute a rádio ao vivo