Estudantes do Paul Harris e Hohendorff representam São Leopoldo em Feira de Ciências em Pernambuco

10 de novembro de 2021 - 17:57

Seis estudantes das escolas municipais de Ensino Fundamental Paul Harris e Professor João Carlos Von Hohendorff estão na capital de Pernambuco para participar da 17ª Feira Nordestina de Ciências e Tecnologia (Fenecit), que ocorre de 9 a 13 de novembro. Os alunos tiveram seus trabalhos selecionados através da Mostra de Tecnologia de Inovação com Ciências (Motic) de São Leopoldo.

Acompanhados de seus professores, os alunos estão aproveitando as vivências e os momentos de aprendizagem. “É uma oportunidade incrível, essas memórias ficam na nossa cabeça para sempre. É muito legal estar aqui e tudo isso foi graças à pesquisa científica”, disse Matheus Faleiro, 13 anos, representando a EMEF Hohendorff. Junto com suas colegas Mariana e Fernanda, o estudante desenvolveu o trabalho “Sai pra lá ansiedade e depressão! Vem se exercitar!”, que estudou os benefícios da atividade física na saúde mental.  A professora de educação física, Nilva Xavier da Silva, que orientou o trabalho, destaca que “a escola pública, apesar de todos os problemas enfrentados pela pandemia, está colhendo frutos e isso nos deixa feliz em ver um grupo enorme de alunos trabalhando na pesquisa científica”, comentou.

O diretor da Emef Paul Harris, Ademir Miguel Auler, está orgulhoso. “Representar nossa escola e município em Feiras de Iniciação Científica no Brasil e Exterior, proporcionando aprendizados e vivências aos nossos alunos que marcarão suas vidas para sempre. Alunos que se tornaram exemplos para colegas de escola e das redes de ensino da cidade”, declarou o professor.

“Estar aqui me trouxe novas experiências, tanto na vida quanto na escola, e me deu oportunidade de conhecer pessoas novas, além de oportunizar de mostrar o projeto com outras pessoas aquilo que eu e minha colega criamos”, disse a estudante da escola Paul Harris, Gabriela Ribeiro. Junto com Yasmin Ziege, as alunas pesquisaram sobre a importância da educação artística no desenvolvimento gráfico-plástico, criativo e emocional na infância e adolescência. A escola está representada com mais dois projetos: Hortas domiciliares, de Andrya Palinski e Luana Bisinella; e sobre o uso do chorume nas hortas urbanas de Pedro Vitoryo.

Notícia anterior
Próxima notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escute a rádio ao vivo