Governistas tropeçam no regimento e PL das RPVs terá audiência pública e mais uma votação

17 de setembro de 2021 - 17:45
Por Sônia Bettinelli

Se o debate de ontem, na Câmara de Vereadores de São Leopoldo, sobre o PL das RPVs, fosse uma partida de futebol, o vereador Gabriel Dias (Cidadania) seria consagrado por ter fechado o gol impedindo a vitória do Executivo, tendo como time  Falcão (MDB), Brasil Oliveira (PSD), Hitler Pederssetti (DEM) e Lemos (PSB). A estratégia do Executivo era urgência especial para encerrar o assunto,  evitando o desgaste da bancada governista. Quatro momentos resumem a derrota parcial do Executivo;

O pedido de votação em regime de urgência especial chegou ao plenário por pedido do Executivo e manifestado (lido) pelo líder do governo Rafael Souza (PDT). Vereador Gabriel Dias avisa que o regimento não permite que o Executivo faça pedido de urgência especial;

Rafael Souza, Ana Affonso e o procurador Jefferson Soares se reúnem por alguns minutos e a solução encontrada foi a Mesa diretora assumir e fazer o pedido de urgência especial;

Pedido de urgência especial é aprovado por seis (6) votos favoráveis e cinco (5) contrários;

Mais uma vez o vereador Gabriel Dias, por questão de ordem, diz à presidente Ana Affonso que a urgência especial precisa ser aprovada por maioria absoluta, ou seja, com sete (7) votos favoráveis. Contra a vontade do Executivo e parte da base governista, a segunda e definitiva votação será na quinta-feira, dia 23. Antes disso, no dia 22, quarta-feira, haverá audiência pública sobre o assunto.

Chance de justificar a posição e o voto

Cada um dos 13 vereadores pode votar de acordo com suas convicções e entendimento. Pode ser favorável ou contrário. Certamente a população vai aplaudir ou vaiar o voto, mas entenderá porque 99% dos votos são explicados, justificados.

Quando o voto se resume a teclar o verde ou vermelho do painel seguido de silêncio absoluto, uma das leituras possíveis é que foi um voto sem convicção, sem conhecimento do teor ou pior que isso, um voto silencioso para não “contrariar” alguém ou para não “perder” algo.

 

Notícia anterior
Próxima notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escute a rádio ao vivo