“Projeto está em stand by”, diz vereadora Iara Cardoso sobre passaporte covid para setor de gastronomia de São Leopoldo

14 de setembro de 2021 - 14:02
Por Sônia Bettinelli

A cada dia, a proposta do passaporte covid para o setor gastronômico de São Leopoldo, iniciativa da vereadora Iara Cardoso (PDT), vai ampliando o debate,  porém sem qualquer divergência entre as partes ou espaço para questionar a necessidade da  vacinação contra a doença. Foi o consenso na conversa de hoje do Berlinda News Entrevista com a participação de Sandro Cassel (BucadeSantantonio), EduardoKutscher (Dudu do Haka) e a vereadora Iara Cardoso, por telefone. A discussão é sobre os efeitos da proposta e como implementar mais medidas para o setor que está em processo de sobrevivência dos negócios. Abaixo algumas posições dos participantes e a entrevista na íntegra pode ser acessada pelo link abaixo.

O que diz Sandro Cassel…

“O setor gastronômico foi a primeira a fechar, ter perda financeira lá em 2020 e o primeiro a discutir os protocolos de segurança sanitária com o Poder Público. A iniciativa privada não pode sofrer essa interferência.”

“Rogo a vereadora Iara que ela retire essa proposta. Isso pode servir para grandes eventos, mas não para a iniciativa privada. O setor não pode ser penalizado em função de ações que devem ser do Poder Público.”

… o Dudu do Haka…

“Essa proposta nos deixa em estado de alerta sobre como será o gerenciamento das pessoas ao chegar no local. Muitos  não andam com a carteira de vacinação, outros que virão de outra cidade e desconhecem a nossa legislação. Mais de 90% do setor aderiu a financiamentos e o Pronampe começou a pagar há dois meses. Estamos encarando isso como uma retomada. Mas agora nossa dúvida é sobre como iremos nos preparar para um novo período e repito, como gerenciar as pessoas que irão chegar. Desde o final de semana a gente dorme pensando nisso e acorda pensando nisso. No Conecte SUS há dados represados.”

…e a vereadora Iara Cardoso

“A ideia é fazer uma conscietização, consciente coletivo. Não é para causar isso. Objetivo desse projeto é levantar a bola. Esse projeto sequer foi à votação, não passou pelas comissões. Está apenas protocolado. Pensei que isso iria atrair de clientes, turistas, para que as pessoas pudessem entrar no teu estabelecimento (Buca). Esse projeto está stand by. Capaz que quero penalizar, prejudicar o setor da gastronomia. Não se trata de intervenção é de aprofundar o debate.”

Ouça abaixo a entrevista completa

 

Notícia anterior
Próxima notícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escute a rádio ao vivo