Mais 33 famílias que fazem o uso das carroças foram cadastrada pela Prefeitura de São Leopoldo

14 de agosto de 2021 - 10:41

Mais 33 famílias que fazem o uso das carroças em São Leopoldo foram cadastrado pela administração municipal. O processo dá continuidade ao mapeamento dos condutores de veículos de tração animal e é feita pelo Grupo de Trabalho, composto pela Secretaria de Proteção Animal (Sempa), Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), Secretaria Geral de Governo (SGG), Secretaria Municipal de Mobilidade e Serviços Urbanos (Semurb), Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Comunitária (Semusp), Guarda Municipal e movimentos populares da cidade.

A iniciativa do cadastro faz parte do trabalho de diagnóstico da quantidade de famílias que fazem uso da tração animal para que se possa desenvolver uma política de alternativa social e econômica dentro da Lei Municipal nº 9.376/2021,  que trata da proibição da circulação de veículos de tração animal. Até o momento 76 condutores já foram cadastradas.

Dentre as alternativas estudadas estão a elaboração de um veículo elétrico, cujo protótipo realiza-se em parceria com a Unisinos, e deve ser apresentado ao Grupo de Trabalho na próxima terça-feira (17). A colocação no mercado de trabalho, realização de cursos profissionalizantes e a facilitação para adquirir microcrédito também estão entre as opções avaliadas.

O titular da Sempa, Walter Verbist, salientou a importância do diálogo e da construção de alternativas de médio e longo prazo para as famílias garantindo o bem estar animal.

“Temos a preocupação de entender a real situação das famílias envolvidas, para que possamos pensar em uma política que não desampare estas famílias. Desejamos que até o final deste mês possamos oportunizar em todas as regiões da cidade o cadastramento, para que tenhamos certeza da quantidade de envolvidos.”, disse Walter.

O cadastramento cabe à SDS, e procura entender em quais circunstâncias as carroças são utilizadas, qual a renda familiar e se existem outras maneiras de arrecadação. “O papel do cadastramento é exatamente este, identificar a situação socioeconômica e comunitária destas famílias que fazem uso da carroça, tentando perceber quais serão as alternativas para a manutenção da renda.”, destacou a diretora da Secretaria de Desenvolvimento Social, Caroline Cerveira.

Notícia anterior
Próxima notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escute a rádio ao vivo