Polêmica sobre nomes da comissão especial na Câmara de Vereadores de São Leopoldo

11 de julho de 2021 - 22:27
Por Sônia Bettinelli

A formação da Comissão Especial para alterações no Regimento Interno da Câmara de Vereadores de São Leopoldo acirrou os ânimos entre parte dos vereadores. O estopim foi a indicação dos  vereadores Marcelo Dentinho (PTB) e Brasil Oliveira (PSD), pela presidente da Casa, Ana Affonso (PT) como representantes das minorias, ou seja, dos sete (7) partidos com apenas  um (1) vereador. Já sobre os nomes das vereadoras Iara Cardoso (PDT) e Nadir Jesus (PT) não há polêmica pois são indicações dos respectivos  partidos com três vereadores cada.

Sem consenso

Na condição de presidente, a petista  Ana Affonso  disse que precisou  indicar os nomes  já que seis (6) dos sete (7) vereadores queriam integrar a comissão e são apenas quatro (4) vagas.

Indicação dos sete 

Gabriel Dias (Cidadania), Falcão (MDB), Lemos (PSB) e Hitler Pederssetti (DEM) defenderam que os sete vereadores da minoria deveriam se reunir e indicar seus representantes.

“Por competência que tenho”

Ana Affonso justificou. “Esta indicação que faço, por competência que tenho e sobre o vereador Brasil Oliveira entendi como um exemplo de justiça porque na legislatura passada ele (Brasil) propôs a alteração do regimento interno”.

Arbitrariedade, manobra 

Gabriel Dias e Falcão classificaram como arbitrária  e antidemocrática a decisão da presidente. “A senhora prega a democracia mas nesse momento está agindo de outra forma”, destacaram os advogados. Já o vereador Lemos (PSB) classificou a indicação dos nomes como “uma manobra”. Hitler Pederssetti sugeriu a escolha dos nomes pelos demais vereadores enquanto Nadir Jesus defendeu a decisão da presidente dizendo que foi dado o tempo às minorias para escolher.

 

Notícia anterior
Próxima notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escute a rádio ao vivo