O virologista Fernando Spilki, professor da Feevale, passa a integrar comitê científico brasileiro

6 de julho de 2021 - 19:52
Por Juliano Palinha

O professor Fernando Spilki, pró-reitor de Pesquisa, Pós-graduação e Extensão da Universidade Feevale, passou a integrar um comitê científico no Brasil para assessoramento ao liaison officer em suas atividades no Centro Internacional para Engenharia Genética e Biotecnologia. Doutor em Genética e Biologia Molecular e coordenador da Rede Corona-ômica BR MCTI, ligada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, Spilki foi convidado a compor o comitê científico do Centro Internacional para Engenharia Genética e Biotecnologia (CIEGB) no Brasil, na área de saúde, devido à sua vasta experiência e excelência em pesquisa nesse campo.

Para o professor, que por diversas vezes participa do programa Berlinda News Entrevista, a oportunidade é um espaço importante para auxiliar na ciência brasileira, já que essa organização é uma iniciativa conjunta de vários países para o desenvolvimento e a inovação da biotecnologia no mundo. “É um espaço importante porque temos a possibilidade de auxiliar com o julgamento e estímulo a propostas de pesquisa de excelência e no processo de internacionalização da Ciência brasileira”.

 

Sobre o comitê científico

O planejamento, o monitoramento e a avaliação das atividades do CIEGB são realizados anualmente, em um conselho dos governadores, com a participação de representantes de cada Estado membro. O comitê é constituído por cinco pesquisadores das áreas animal, vegetal, de saúde, de aplicação industrial e ambiental. Eles têm mandato de dois anos, sendo que metade dos membros deve ser reconduzida por igual período. Aos integrantes do comitê compete:

  • assessorar a avaliação e a seleção de propostas brasileiras recebidas em resposta às chamadas dos programas de pesquisa colaborativa e de encontros e cursos do CIEGB;
  • assessorar a avaliação e a seleção de candidatos brasileiros aos programas de bolsas do CIEGB;
  • auxiliar o liaison officer do Brasil, coordenador da área de biotecnologia do MCTI, na divulgação dos programas do CIEGB;
  • recomendar áreas, temas e países promissores para intensificar os programas de pesquisa e treinamento oferecidos pelo CIEGB.
Notícia anterior
Próxima notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escute a rádio ao vivo