Chocolate gourmet recheado de empatia, solidariedade e esperança para enfrentar a pandemia

12 de março de 2021 - 18:26
Por Juliano Palinha/Sônia Bettinelli

Grades do comércio baixadas viraram rotina indicando o cumprimento das medidas para reduzir a circulação do vírus. Se a imagem não choca mais, devemos lembrar que atrás das grades estão negócios, projetos, trabalho e sonhos interrompidos e, algumas grades correm o risco de não subir mais. Graziela Nordio, 31 anos, baixou a grade da Ouse Boutique (Rótula da São Borja), calçou luvas e colocou a mão no chocolate  gourmet para dar forma e sabor à rosas e corações.

“É uma situação bem complicada. O comércio já vinha passando por algumas dificuldades, mas estávamos nos reerguendo, porém a pandemia pegou todo mundo de surpresa. Juntei a habilidade com a necessidade de sobrevivência”, contou Graziela no Berlinda News Entrevista de hoje (12).

Com loja há 13 anos na rótula da São Borja, Graziela diz que vender os chocolates significa manter vivo o seu negócio. “Não é apenas uma loja, é um sonho. Trabalhamos com sentimentos. Adoro o meu negócio. Adoro o que faço, o bairro. A minha loja é uma família, conhecemos os clientes e mesmo na pandemia eles seguiram comprando, nos ajudando. Quando fiz máscara eles também compraram, para a gente não ter um impacto tão grande e fechar”, comenta.

Graziela afirma que o chocolate foi a salvação em 2020. Com a  venda conseguiu honrar todos os pagamentos. Por isso, decidiu mostrar sua gratidão com chocolate para as crianças da Casa Aberta. “Sempre com ajuda de outras pessoas, amigos e da família, montamos 45  ninhos com ovinhos que produzi para cada um deles”, agradece Graziela. Quer saborear o chocolate goumert o contato é  98045-2112

Graziela e a irmã fazem as entregas sem custo

Notícia anterior
Próxima notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escute a rádio ao vivo